sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

O AMOR POR UM FIO


Paquera e amor na internet. Numa forma alegórica, podemos dizer que vivemos na "corda bamba", uma distração e... lá vamos nós para o chão, ou sabe-se lá para onde. Assim, muitas pessoas se sentem em seus relacionamentos amorosos, ora por temerem pelo seu fim, ora por quererem pôr termo a ele, mas sem consegui-lo.
Mas vou acrescentar um elemento "extra" nesse assunto: o amor virtual, é esse o motivo da postagem.

Podemos amar através da internet?

Li e vi muitas notícias a esse respeito: o amor virtual. Porém, nada comparado à uma vivência pessoal, portanto real. Uma pessoa, a quem conheço intimamente, numa longa conversa, me explicou, detalhadamente, que havia se apaixonado por uma garota, através da internet. Nunca se conheceram, mas ele sentia-se fortemente atraido por ela, na verdade estava tão confuso, que tinha a sensação de já conhecê-la a muito tempo.

Depois, mais sereno, confessou-se indefeso perante aquela situação, pois era difícil para ambos viverem essa experiência, sem o toque mágico dos corpos, sem poderem, sequer, verem-se rapidamente - ele, mora em São Paulo e ela, no sul do Brasil - além de outros impedimentos (talvez esses, sim) mais complicados, demandando ainda mais tempo para sua solução.

Perguntei-lhe se ela partilhava da mesma paixão e entusiasmo que ele, no que, de pronto, respondeu-me que sim, que a garota era um amor de criatura, e que, mesmo sem vê-la pessoalmente, podia assegurar-se da reciprocidade no relacionamento virtual. Tudo combinava entre eles, formavam um lindo par, ideias semelhantes e loucuras também. Ele apenas não sabia como agir diante dessa nova e inusitada situação, apenas a alimentava, dia-a-dia e, cada vez mais, ambos estavam se envolvendo. Sentiam-se felizes, assim, por enquanto.

Fazem planos, trocam segredos e carícias virtuais, mas os sentimentos são inexplicavelmente reais!

Sabem o que eu disse a ele?
Amigo, a felicidade que vocês estão sentindo agora é virtual?
Como a resposta foi um retundo "não", disse-lhe, calmamente:

Vocês não precisam de conselhos meus, e de ninguém.
Sigam seus corações, deixem fluírem seus mais íntimos sentimentos.
Vivam um dia de cada vez.
Se a felicidade lhes bateu à porta, convidem-na para se mudar para ai, junto a vocês dois.
A vida é feita de milhares de momentos. Prefiram sempre os que lhes tragam luz, à treva; perfume, ao inodoro; sabor, aos dissabores; cores, ao cinza; amor, ao desprezo e solidão; vida e movimento, à tristeza que paraliza.


Obrigado, amigo, pelo depoimento: sincero, aberto e apaixonante!

Nota do editor: Ops! Não tive a intenção de ser sensacionalista com o título deste post, apenas mantê-lo fiel ao seu conteúdo.
Comentários
4 Comentários

4 comentários

Luciana disse...

Engraçado, quando li o título do post pensei se tratar de um amor que está para findar, no entanto, que alívio, a questão é literal. Ótimo título!
Se existe reciprocidade, afinidade, desejo e alegria na relação, que importa se ela é mantida à distância. Ela é real! São sensações verdadeiras que estão sendo alimentadas dia após dia na vida dessas duas pessoas.
Pra tudo se dá jeito, basta querer realmente! Gostei muito deste texto, sublime,como o amor!
Beijos, querido! Você é surpreendente!

Lelo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Namoro na Boa disse...

Nota do editor:

Desculpe-me por expressar-me de uma maneira não oportuna, e inadequada.
Não foi minha intenção, apenas estava tratando do assunto por analogia e, em hipótese alguma, ferir a dignidade de quaisquer pessoas, muito menos ferir às que levo em alto estima e adimiração.

Aurelio Martuscelli Neto
abraços a todos

Anônimo disse...

ÓTIMO! EU ESTOU VIVENDO UM ROMÂNCE ASSIM. Á LONGA DISTÂNCIA, E ISSO FOI MUITO CONFORTANTE PRA MIM! EU PRECISAVA DE UM BOM CONSELHO. OBRIGADO! NEM TUDO ESTÁ PERDIDO.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...