terça-feira, 28 de dezembro de 2010


Esquecer de um amor não é lá uma tarefa muito fácil para ninguém. Esquecer um grande amor então... muito mais difícil. Mas, a melhor dica que se tem notícia é que, com o tempo e, talvez com o aparecimento de uma um novo interesse seu (pode ser uma nova paquera, um trabalho desafiador, um curso interessante etc.), seu coração poderá ficar mais leve e solto, fazendo com que você vá deixando para trás todas as lembranças mais marcantes que partiram junto com o seu ex-amor.

No início da separação dói muito e essa sensação parece nos tirar até o chão que pisamos, o ar que respiramos. Perdemos todas as nossas referências sentimentais, ficamos confusas e até sem razão de viver, ou com medo disso.
Vamos à uma boa dica, essa você pode executar sozinha, porque só depende de você mesma.

Ao trabalho, então! Procure um local confortável e tranquilo, porque você vai usar somente sua imaginação, ok?
Tente imaginar todo o seu relacionamento com seu ex-amado, ponto por ponto. Só que, desta vez, você é apenas uma observadora de sua própria vida. Procure ir entrando nesse novo personagem que criou, analisando friamente cada detalhe do comportamento do seu ex-amor, no início, no meio, e nos momentos que antecederam a separação.

Viaje no tempo, etapa por etapa desse relacionamento. Fustigue, questione-se, faça perguntas a você mesma, como se fosse uma pessoa confiável. Procure notar tudo o que estava acontecendo nessas três fases do seu relacionamento a dois: ela (que é você), ele, as famílias (sua e dele), os amigos, o trabalho. Agora, vá perguntando a ela (você), e respondendo francamente, sem meias palavras, numa espécie de diálogo aberto e verdadeiro. Seja eficiente nas perguntas que vai fazer a si mesma, porque as respostas podem ser muito reveladoras. Por isso tenha coragem ao elaborá-las e ao respondê-las, porque podem conter mágoas, ressentimentos, revolta, ódio, recaídas.

Esse momento é importantíssimo, porque você, após algumas seções desse exercício de libertação, vai acabar descobrindo todas as respostas possíveis, até chegar à conclusão de que aquilo que julgava ser tão perfeito (ele, você, seu amor, o dele, o relacionamento entre ambos), de fato não era tudo o que você realmente vivenciou. Havia coisas importantes que nunca estiveram no lugar certo, mas você, mesmo assim, preferiu acreditar no sonho, dando as costas à realidade, fingindo viver um lindo conto de fadas.

Vá fundo, questione-se mesmo, explore todas as variantes desse seu relacionamento, procurando extrair tudo aquilo que você, de fato, nunca sequer havia reparado, e que não era tão legal assim.

Aos poucos, dependendo de como você se dedique a esse exercício de libertação, as respostas aparecerão e, como mágica, sua vida vai voltando à normalidade, deixando para trás dores e sofrimentos, que foram sendo banidos de seus sentimentos. Já é possível abrir-se novamente ao mundo, paquerar, até amar novamente, porque não?! Mas, aconselha-se, dar um tempo para esse novo amor entrar. Assim, sem aquela carga de culpa em suas costas, sem todos aqueles ressentimentos que lhe tiravam o fôlego, você estará mais preparada para enfrentar tudo o que vier, e esperamos que seja tudo de bom.

Há, também, muitas sugestões de "terapia de choque", como ir logo para um relacionamento sério, logo de cara. Mas isso, nem é recomendado, visto que o custo/benefício é muito desproporcional.

Bem-vinda de novo à alegria de viver!
Posted by Aurelio Martuscelli Neto on 14:36 in , ,    No comments »

0 comentários:

Marque o Namoro

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Pesquise aqui