Porque meus relacionamentos são tão difíceis – dicas

Não consigo me relacionar bem com as pessoas, principalmente no campo amoroso, entre homem e mulher. Em minha casa, não me dou bem com os meus pais, ou irmãos, e daí?
Parece que só encontro pessoas erradas, que não combinam com minha personalidade. O que posso fazer para mudar alguém? O que fazer para moldar essa pessoa, para que se torne parecida comigo?
Doar é receber
A coisa parece complicada, mas vamos tentar passar umas dicas, de maneira que você possa se ajustar melhor nos relacionamentos. A começar por você. Esse é o segredo da coisa, porque é hora de começar a enxergar sua vida social, a maneira como você convive com as pessoas, suas expectativas a respeito delas, a forma com que você se doa a elas, sob um ponto de vista mais largo.
Comece avaliando e reciclando suas atitudes e posturas, mas, sobretudo, tente colocar em mente que, para um relacionamento dar certo – seja ele a dois, romântico e conjugal, amizades em geral, ou com um grupo de pessoas, dentro da família, etc. -, é preciso ceder um pouco, às vezes um pouquinho mais, e isso entendido como pedra fundamental para a durabilidade e estabilidade dessa união.
Socialize-se
É necessário ampliar o seu autoconhecimento, porque parece-nos que o problema reside em sua personalidade, e não naquelas pessoas todas com quem se relacionou. Ou será que todas essas pessoas são tão diferentes de você, a ponto de não estabelecerem, pelo menos, um mínimo espaço conjunto, onde possam caber sonhos, ideais, planos, onde você se encaixe? Não confundir cessão com submissão. Apenas permita que o outro tenha seu espaço dentro do seu ambiente íntimo, nos diálogos, no espaço físico em que se encontram, na forma de pensar, até na cama isso é importante.
Permita-se errar e perdoar quem errou
Errar está intrinsecamente ligado a todo ser humano. Portanto, ao errar, certifique-se de pedir desculpas, se cabíveis. Aceite-as, quando pedidas com franqueza. Assim deve ser a atitude com o outro. Existem limites para errar? Isso é construído dentro do relacionamento. Seguidas repetições dos mesmos erros podem sinalizar para problemas mais graves. Por isso, cabe a cada um, individualmente e caso a caso, analisar a situação e ver quais providências devem ser tomadas. Não fique carregando culpas por seus erros. Errou… peça desculpas e procure não repetir. Perdoe-se.
Criar expectativas somente dentro do relacionamento
Como falamos, ter muitas expectativas antes de engrenar um relacionamento pode ser extremamente frustrante. Sabendo-se disso, procure construir expectativas mais humildes, tendo em base um conhecimento mínimo do outro, ou outros envolvidos. Avancem nos planos e ideais sem pressa, mas avancem.
Seja gentil, sempre que possível
Ser gentil até nas palavras mais duras. Esse é o caminho mais suave para trilharmos, quando num relacionamento emocional. Devemos ser francos, mas as palavras têm que ser brandas. Quando partimos para a agressão verbal, além de ferir o outro, também sofremos com sua réplica. Contar até 100, muitas vezes é necessário. Treine isso.
Procure compreender mais o outro
Muitas vezes, deixamos de prestar atenção ao outro quando este mais precisa dela. Com o tempo, a indiferença toma conta dos envolvidos nesse relacionamento, tornando-o frio, apático e triste. Procure demonstrar interesse pelas coisas que o outro tem ou gostaria de ter. E, na medida de sua necessidade, chame a atenção para as suas. Nunca é demais saber o que se passa na cabeça da pessoa com quem convivemos, isso ajuda a estabelecer vínculos mais profundos entre ambos, ampliando nossa compreensão pelas providências que deveremos ter como prioridade.
Ninguém muda ninguém
Você pode lapidar aqui e acolá, porém mudar uma pessoa… nananinanão! O que acontece num relacionamento é que as pessoas se adaptam a ele, dando essaa falsa impressão. Às vezes, evoluimos ou andamos para trás, tudo de conformidade com as circunstâncias que nos cercam – ou que atraimos para nós mesmos!
É só por hoje, lembrando aos interessados que tudo o que foi tratado acima baseia-se no fato de que essa(s) pessoa(s) vale(m) a pena: seja desejo sexual, amor, carinho, carência, afinidades múltiplas, ou apenas um ponto em comum. Aproveite, faça novos amigos, descubra-se no outro, participe mais das coisas ao vivo, nada de PC ou notebook. A vida é mais legal quando podemos sentir, ver e tocar outras pessoas.

“Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (…) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca.” (Antoine de Saint-Exupéry, in “Cidadela”)

Bjús 🙂
Tudo sobre o namoro: manual para garotas, sexualidade, traição, infidelidade, amor, romance, paixão, dicas, testes, pesquisas, sexualidade, verdades e mentiras, sexo, inveja, vídeos

4 comentários em “Porque meus relacionamentos são tão difíceis – dicas

  • 27 de fevereiro de 2011 em 18:00
    Permalink

    @Augusto

    Legal sua poesia, parabéns.
    Porém, parece-nos que não encontra eco nessa postagem, temos outras, onde sua poesia combinaria perfeitamente. Como autor, você poderia entrar em contato com as redações dos blogs, assim divulgar seus livros de forma mais eficiente.

    Abraços

    Resposta

Deixe sua opinião aqui! Comentários com links não serão aprovados, sorry!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: